sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Publicada em 1997, esta obra reúne os mais belos textos de Camões, consagrado autor português.
Bom, para que você possa entender este livro, deve ter alguns conhecimentos sobre a estrutura dos poemas:
Um soneto é composto de 2 tercetos e 2 quartetos, com versos decassílabos (na estrutura clássica camoniana). Com certeza, você já deve ter ouvido falar deste soneto:
Amor é fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer

É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É nunca contentar - se de contente
É cuidar que se ganha em se perder

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence, o vencedor
É ter com que nos mata lealdade

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade
Se tão contrario a si é o mesmo amor?

As redondilhas são versos curtos com 5 (redondilha menor) ou 7 (redondilha maior) silabas.


Este tempo vão
Esta vida escassa
Para todos passa
Só para mim não.
Os dias se vão
Sem ver este dia
Quando vos veria

Vede esta mudança
Se está bem perdida
Em tão curta vida
Tão longa esperança!
Se este bem se alcança,
Tudo sofreria,
Quando vos veria.

Saudosa dor,
Eu bem vos entendo
Mas não me defendo
Porque ofendo Amor
Se fôsseis maior
Em maior valia
Vos estimaria.

Minha saudade,
Caro penhor meu.
A quem direi eu
Tamanha verdade?
Na minha vontade,
De noite e de dia
Sempre vos teria.

No livro também encontramos outros formatos. A égloga é um poema em forma de diálogo ou discurso, na qual os personagens são, geralmente, pastores. Há ainda a ode, que nasceu na Grécia e é uma canção, com estrofes com o mesmo número de versos e divida em três partes para coral; a sextina possui seis sextetos e um terceto final, denominado coda; as oitavas, com estrofes de oito versos; e as elegias, que são poesias tristes, especialmente compostas para funerais.


0 comentários:

Postar um comentário